Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Pensamentos Nómadas

Nomadic Thoughts - Pensées Nomades - Кочевые Мысли - الأفكار البدوية - 游牧理念

Pensamentos Nómadas

Nomadic Thoughts - Pensées Nomades - Кочевые Мысли - الأفكار البدوية - 游牧理念

Sudeleste 2007: Os Álbuns de Fotografia

VIAGENS Luís Garcia

 

 

Eu ando pelo mundo, E os automóveis correm para quê? As crianças correm para onde? Transito entre dois lados de um lado, Eu gosto de opostos, Exponho o meu modo, me mostro, Eu canto para quem? (Esquadros, Adriana Calcanhoto)

 

 

Neste artigo temos disponíveis os Álbuns Diários do SUDELESTE 2007, acompanhados pelo resumo dos principais pontos de interesse de cada semana, este último uma nova versão da estória de viagem contada no primeiro episódio:

 

      1ª Semana - Portugal to Slovenia by Truck

 

 

O primeiro dia de SUDELESTE ficou marcado pelo abandono prematuro de um dos viajantes, Ivo, devido a um imprevisto na fronteira com Espanha. Os restantes de nós, Diogo e Luís, seguimos em direcção ao nosso primeiro destino, Eslovénia. Para tal atravessámos a Espanha, a França e o norte de Itália à boleia de camiões. Em Itália, por não ser permitida a circulação de camiões ao fim-de-semana no período do verão, ficámos retidos durante dois dias na autoestrada A1, mas guardamos as memórias magníficas do companheirismo, do sentido de entre-ajuda e do grande humanismo de dois camionistas romenos que compartilharam com grande satisfação esses dois dias das suas vidas connosco. Ainda assim, ao final do sexto dia chegámos à Eslovénia, cumprindo a nossa meta: ir de Portugal à Eslovénia à boleia em menos de uma semana. Também neste dia tivemos o primeiro alojamento couchsurfing da viajem, na cidade de Postojna, numa vivenda magnífica de um casal super simpático e acolhedor. O último dia da semana acabou em grande, com um concerto ao vivo e gratuito do grupo francês Un Swing de R'tard, no centro da cidade de Postojna.

 

      2ª Semana - La Dolce Vita na Eslovénia e Hungria

 

 

Nesta segunda semana de viagem, à medida que atravessávamos a pequena Eslovénia, descobríamos que a limpeza, a organização, a beleza e a natureza intacta e verdejante eram regra por todo o país. E não era tudo, a Eslovénia mostrava-se ser terra dos melhores gelados do mundo (produzidos pela comunidade albanesa), e também terra de uma invejável mentalidade aberta, onde pedir boleia era um meio de viajar extremamente fácil e eficiente. Os destaques da semana, pela positiva, foram a grande e bem merecida tarde passada num Spa em Maribor, cidade universitária, e portanto quase deserta no verão, o surreal Couchsurfing Meeting também nesta cidade e a boleia que recebemos de um casal espanhol desde Maribor na Eslovénia, até Siófok na Hungria, com uma breve passagem pela Croácia. Pela negativa, Budapeste, cidade histórica e de passagem obrigatória, mas que não nos convenceu por ser demasiado turística nas suas zonas principais, e demasiado suja e caótica no resto da cidade, além dos seus muito elevados índices de poluição. A loucura da semana foi percorrer 10Km a pé sob chuva intensa e com uma mochila às costas, na fronteira entre a Hungria e a Roménia.

 

      3ª Semana - Merge la Romania?? Da, da...

 

 

No início da terceira semana chegámos a Cluj-Napoca, em plena Transilvânia, Roménia, onde nos esperava uma agradável surpresa: ummeeting oficial do couchsurfing. Cluj-Napoca é a cidade do clube mais lusófono da Roménia, CFR Cluj, com 8 portugueses e 2 brasileiros no  seu plantel principal. É uma cidade de contrastes, onde Ferrari's se cruzam com crianças de rua em estradas sem asfalto e cheias de buracos. Estes contrastes estendem-se contudo a toda a Roménia em plena turbulência  económica onde, por exemplo, fica mais barato jantar num restaurante do que cozinhar em casa, literalmente. De Cluj-Napoca seguimos para Sibiu, Capital Europeia da Cultura 2007, cidade do insólito: ao chegarmos à casa da couchsurfer que nos iria acolher demos com um apartamento em plenas obras de remodelação, e por isso, água quente, banho, um sofá ou até mesmo uma cadeira eram pedidos impossíveis de satisfazer. Mais insólitos viriam a revelar-se os restantes hóspedes, um brasileiro com estilo de serial-killer e mala de viagem maior que ele e um casal finlandês que se fazia acompanhar de dois guarda-chuvas alucinantes, um cor-de-rosa, outro azul-bebé. Insólitos sem dúvida eram também os lagos hiper-salgados que fomos encontrar em Baile Ocna Sibiului, assim como um pôr-do-sol no sul da cidade, com um rebanho de ovelhas e um tanque de guerra abandonado a completar o quadro...

 

      4ª Semana - Durmiendo por la calle...

 

 

Antes de partirmos para a improvável aventura de passar 8 dias a dormir onde calhasse, pois não voltariamos a encontrar um couchsurfer para nos hospedar até ao final da viagem, couchsurfámos na bela e sossegada cidade de Pécs, na Hungria, cujas pequenas e agradáveis surpresas fizeram deixar no ar a sensação de obrigação de lá voltar um dia, além de terem servido como compensação da imagem negativa com que inicialmente ficáramos da Hungria após a anterior passagem pela capital, Budapeste. Paradoxalmente, ou até não, esta semana acabou por ser sem dúvida aquela que nos brindou com as experiências mais belas, intensas e marcantes de toda a viagem. De destacar a dormida num estádio de futebol em construção na Eslovénia embalados pelo som da chuva torrencial e inesperada, as duas noites passadas na praia da snob Nice (a primeira com um grupo de jovens turistas croatas, a segunda com um grupo de franceses que se despediam do seu amigo emigrante na Irlanda), e ainda a fantástica aventura com o alucinado camionista checo que nos "pegou" já noite escura em Itália e nos levou até à Catalunha, o qual após quase 4 horas perdidas à procura do local de descarga da sua mercadoria, ainda foi ao final da noite tomar um merecido banho connosco nas águas tépidas e amenas do Mediterrâneo, em Arenys de Mar. Esta semana deu ainda para um dia relaxante e inesquecível no Mónaco, especialmente pelos agradáveis banhos de sol e de mar que lá disfrutámos.

 

      5ª Semana - Rojões e Arroz de Marisco

 

 

Tivesse o mítico José Cid nos acompanhado nesta nossa senda pela Europa desconhecida e provavelmente o seu saudoso pedido ao regressar a casa podesse ter sido umas famosas Favas com Chouriço... Nós, Diogo e Luís, ficámo-nos respectiva e humildemente pelos Rojões do norte e o Arroz de Marisco do centro do país... Brincadeira. Estes dois últimos dias da nossa aventura SUDELESTE 2007 ficaram marcados negativamente pelos 6 Km percorridos a pé na auto-estrada de Valência para Madrid sob uma desgastante temperatura de 40ºC, sem a mínima sombra e com as mochilas às costas, e também pelo comportamento ignominioso do caquéctico segurança privado da estação de autocarros de Valência que não permitia de forma alguma que os viajantes à espera dos seus autocarros (e com bilhetes já comprados) se deitassem ou se sentassem no chão para aliviar o peso que o relógio já carregava (3 horas da manhã), e muito menos que se deitassem nos bancos, embora houvesse uma infindável quantidade de bancos vazios! Até fechar os olhos num banco dava direito a severa reprimenda. Insanidade mental ou resquícios das ditaduras peninsulares, quem sabe...  Pela positiva, o regresso a casa...

 

No próximo e último episódio: TODOS os vídeos da viagem!

 

Luís Garcia, 17.02.2016, Lampang, Tailândia

 

 

 
Vá lá, siga-nos no Facebook! :)
visite-nos em: PensamentosNómadas

Publicidade

Categorias

POLITICA - banner

SOCIEDADE - banner

VIAGENS - banner

RELIGIÃO - banner

ECONOMIA

Literatura

Tecnologia

CIENCIA

FOTOGRAFIA

EN FRANÇAIS

IN ENGLISH

 

Livros em PDF - LISTA DE AUTORES POR ORDEM ALFABÉTICA

Os Nossos Artigos em PDF

Arquivo

O gestor do blog

foto do autor

Siga o blog

Follow