Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Pensamentos Nómadas

Nomadic Thoughts - Pensées Nomades - Кочевые Мысли - الأفكار البدوية - 游牧理念

Pensamentos Nómadas

Nomadic Thoughts - Pensées Nomades - Кочевые Мысли - الأفكار البدوية - 游牧理念

Shadi Halwi em Aleppo Leste libertada, por Luís Garcia

 

 

Shadi Halwi em Aleppo Leste libertada

 

Luís Garcia POLITICA SOCIEDADE 

O artigo hoje é curto, curtinho, porque por vezes um vídeo, também curto, vale mais que mil palavras. Convido o leitor a antes demais assistir ao vídeo abaixo, depois explico o porquê deste artigo:

Shadi Halwi recebido de forma efusiva pelos civis em fuga de Aleppo oriental

 

Contra todos os dados disponíveis, os media ocidentais insistem em afirmar que "dezenas de milhares de sírios fogem dos criminosos bombardeamentos do exército sírio sobre Aleppo oriental". Mais, afirmam que os tais "bombardeamentos estão a provocar uma crise humanitária", "uma catástrofe humanitária". Eu digo que não, insisto que, pelo contrário, as dezenas de milhares de civis sírios fogem do terror da al-Qaeda (e companhia) reinante desde há mais de 4 anos naquela parte de Aleppo. Fogem rumo à liberdade proporcionada pela vitória das forças militares sírias e russas contra o terrorismo patrocinado pelo ocidente. Fogem rumo a Aleppo ocidental controlada pelo governo legítimo de al-Assad, onde chegam uns a pé e outros em autocarros disponibilizados pelo governo sírio. Chegam e são recebidos com comida, medicamentos e abrigo temporário.

 

Agora falemos do vídeo acima. Qual a sua importância? Simples, o senhor que todos aqueles civis sírios cumprimentam efusivamente dá pelo nome de Shadi Halwi e é um jornalista da agência de notícias estatal Syrian News Center. Mais, este senhor conhece pessoalmente Bashar al-Assad e a sua família. Este senhor tem arriscado a sua vida nos últimos anos reportando os horrores da agressão estrangeira ao seu país. Este senhor quase foi morto em Maio passado às mãos do Abu Omara Battalions, um grupo de "rebeldes libertadores" terroristas que o acusaram do crime de informar o povo sírio sobre a barbárie perpetrada por esses "rebeldes libertadores". Felizmente sobreviveu. Infelizmente, nada foi dito sobre o assunto na manipuladora RTP.

 

A ver pela reacção dos civis sírios, a cara de Shadi Halwi deve ser muito familiar mesmo para quem viveu estes últimos 4 anos em Aleppo sobre o controlo das organizações terroristas do "Exército de Libertação Sírio". Mais, não é só familiar, é familiar e positiva, muito positiva. Como puderam ver, toda a gente quis cumprimentá-lo, toda a gente se mostrou feliz, mesmo efusivamente feliz por encontrar ali o jornalista Shadi Halwi.

 

Agora pergunto, e gostaria de dirigir a pergunta ao jornalista Paulo Dentinho, novo director de informação da RTP que esteve há pouco em Aleppo:

  • Como é possível que ao mesmo tempo, por um lado, segundo a RTP, os civis de Aleppo leste fogem "dos bombardeamentos do genocida governo sírio" que provocam uma "catástrofe humanitária" e, por outro, segundo as imagens do vídeo acima, esses mesmos civis festejam a aparição de um jornalista que trabalha para o governo sírio e é amigo pessoal do "genocida" al-Assad?

 

Este artigo vai ser enviado ao senhor Paulo Dentinho. Terá direito a resposta em forma de artigo neste blog se o desejar, sem edição nem manipulação alguma, pois eu não trabalho para a RTP. Vamos ver se responde.

 

Para os mais cépticos, partilho aqui a conta facebook do jornalista sírio (https://www.facebook.com/shady.hulwe) e duas fotos dele. A primeira mostra o jornalista Shadi Halwi à esquerda, acompanhado por Bashar al-Assad e a esposa deste, Asma Al-Assad. A segunda mostra o mesmo jornalista Shadi Halwi em Palmira, acompanhado por Suheil al Hassan, um major-general das Forças Armadas da Síria:

 

Shadi Halwi, Bashar Al-Assad e Asma Al-Assad

10463039_745938148791594_9119397380878184199_n.jpg

 

Shadi Halwi e o major-general Suheil al Hassan

syria_journalist.jpg_1718483346.jpg 

 

Luís Garcia, 02.12.2016, Chengdu, China

 

 
Vá lá, siga-nos no Facebook! :)
visite-nos em: PensamentosNómadas