Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Pensamentos Nómadas

Nomadic Thoughts - Pensées Nomades - Кочевые Мысли - الأفكار البدوية - 游牧理念

Pensamentos Nómadas

Nomadic Thoughts - Pensées Nomades - Кочевые Мысли - الأفكار البدوية - 游牧理念

Desespero mediático 10 - A RTP diz o contrário da RTP, por Luís Garcia

 

 

DESESPERO MEDIÁTICO 10.jpg

  

Luís Garcia POLITICA 

 

O desespero mediático de hoje deve-se a uma "notícia" da RTP na qual a ovelha-jornalista de serviço traduziu uma espécie de comunicado que a agência Lusa foi buscar ao Estrangeiro, sem se dar conta que o conteúdo do texto contradiz, para os atentos, a posição elementar anti-governo (de al-Assad) da RTP e dos restantes média nacionais públicos e privados. Apesar de inventar muito ou traduzir mal, ou traduzir mentiras, ou as 3 coisas, algumas verdades inconvenientes para a posição da própria RTP sobre o assunto acabam por vir ao de cima. Um risada, meus caros amigos!  

 

Em primeiro lugar, ao contrário do que afirma a notícia, estes "grupos" não são sírios, bastando, para o desmentir, constatar que todos os grupos mencionados na notícia são al-Qaeda ou sub-grupos da al-Qaeda, ou grupos que combatem juntos com a al-Qaeda contra o Exército Sírio legítimo. Como é sabido, estes grupos de mercenários-terroristas foram criados com dinheiro norte-americano e saudita e com recrutas de vários países muçulmanos para servirem na guerra Afeganistão-URSS encomendada pelos EUA em 1979. Não estou a ver portanto a ligação com a Síria! Se estão na Síria é por encomenda do império e nada têm de sírio.

 

Em segundo lugar, sim, é um facto que a confusão de nomes no artigo não acontece por acaso, como já expliquei no artigo anterior: Desespero mediático 9 - jornal Público é mentiroso e manipulador.

 

Portanto, antes de desmontar esta palhaçada de artigo da RTP, primeiro façamos o contrário da RTP: em vez de complicar para que o leitor não perceba nada do que se diz, simplifiquemos os nomes, adicionemos bandeiras para ajudar a memória e expliquemos quem é quem, de forma a dar valor e conteúdo que a notícia da RTP não teve. É que repetir e baralhar nomes árabes mal traduzidos não é de todo sinónimo de informação, muito menos quando se esconde quem está por detrás desses nomes, evitando-se assim conclusões políticas inconvenientes para a mentira da verdade oficial ocidental.

 

Jund_al-Aqsa_flag.jpeg.jpeg

Yund al Aqsa - em árabe: جند الأقصى, em português: Soldados de al-Aqsa. São um sub-grupo da al-Qaeda na Síria (também conhecida por al-Nusra, para confundir a malta, e mais recente mente, para confundir o resto, passou a chamar-se Jabhat Fateh al-Sham, enfim!). Segundo a AlmasdarNews 150 homens desta organização terrorista passaram há dias a fazer parte do ISIS. (wikipédia)

 

Flag_of_Jabhat_al-Nusra.jpg

 Frente da Conquista do Levante - em árabe: جبهة النصرة لأهل الشام, em português: Frente da Vitória para o Povo da Grande Síria. Ao contrário do que a RTP fez, por norma é usada a transcrição inglesa para alfabeto latino do nome original: Jabhat Fateh al-Sham, ou uma mistura: Frente Fateh al-Sham.  No artigo da RTP é dito que é "a antiga extensão da Al Qaeda na Síria", o que é uma grandessíssimo disparate propositado lá posto para baralhar. Não é antiga, mas sim actual. Não é extensão da al-Qaeda, é a al-Qaeda. Chamem-lhe os nomes que quiserem para baralhar o público (forma maquiavélica de afastar o público dos factos e da verdade sem ter de os censurar), todos os nomes que se encontram neste parágrafo significam pura e simplesmente: al-Qaeda, sabendo que al-Qaeda é um nome genérico inventado pelo Pentágono norte-americano para classificar as suas organizações terroristas islâmicas padrão.(wikipédia

 

Agora que a al-Qaeda na Síria se chama Frente Fateh al-Sham, Jabhat Fateh al-Sham, ou Frente da Conquista do Levante, ou o raio seja, até tem direito a bandeira nova, basicamente um negativo da anterior com uns rabiscos novos em baixo:

Flag_of_Jabhat_Fatah_al-Sham.svg.jpg  

Logo_of_Ahrar_al-Sham.jpg

 Movimento Islâmico dos Livres de Sham - em árabe:  حركة أحرار الشام الإسلامية, em português: Movimento Islâmico do povo livre da Grande Síria, transcrição inglesa em alfabeto latino: Harakat Ahrar al-Sham al-Islamiyya. É conhecido simpesmente por Ahrar al-Sham. Ao contrário do que é afirmado na wikipédia em português, este Ahrar al-Sham não é um antigo membro da Frente Islâmica, mas sim um actual membro da Frente Islâmica (organização pertencente à Oposição Síria, cujos membros são vistos como "rebeldes" no ocidente e como terroristas pelos governos da Síria e da Rússia). Os jornalistas ocidentais não sabem (caso português) ou fingem não saber (caso das fontes usadas pela RTP) que é comum, por entre as várias organizações terroristas que compõem a chamada "oposição síria", formar-se sub-grupos semi-independentes quando se alcançam os números necessários para essa semi-independência, a qual é pragmaticamente útil dado que a criação de sub-grupos visa o alastrar destes pelo território sírio, tendo como consequência prática o fim das comunicações diárias e constantes com a "casa mãe terrorista", neste caso a Frente Islâmica. O facto do emblema do Ahrar al-Sham (ver aqui) resultar de uma pequena variação do emblema da Frente Islâmica (ver aqui) é bem demonstrativo do que acabei de dizer, de que não há ruptura mas sim sub-divisão. O mesmo se passa com várias outras organizações terroristas pertencentes à oposição Síria, por exemplo o Exército de Libertação Sírio (ver emblema aqui) e o seu sub-grupo Divisão do Norte (ver emblema aqui)! (wikipédia)

 

Agora que se esclareceu quem é quem na notícia da RTP, leiamos então essa notícia, para de seguida a traduzir para português inteligível:

 

Grupos sunitas rivais acordam cessar-fogo no norte da Síria

As fações sunitas sírias, Yund al Aqsa e Movimento Islâmico dos Livres de Sham, assinaram um cessar-fogo que põe fim aos confrontos dos últimos dias no norte do país entre os dois grupos.

O pacto entre as duas organizações - difundido através da internet - foi subscrito entre a Frente da Conquista do Levante (a antiga extensão da Al Qaeda na Síria), de que faz parte o grupo extremista Yund al Aqsa, e o Movimento Islâmico dos Livres de Sham.

O acordo estabelece uma trégua imediata e a abertura de todas as estradas cortadas, a libertação de todos os prisioneiros num prazo de 24 horas (exceto os membros do Yund al Aqsa com ligações ao Estado Islâmico) e a criação de um tribunal para resolver as diferenças existentes entre as partes.

Segundo a agência EFE, o texto assinala que a integração do Yund al Aqsa com a Frente da Conquista do Levante prevê uma "solução para o conflito".

O acordo foi alcançado depois de confrontos entre os Livres de Sham e o Yund al Aqsa, na província de Idleb, no norte da Síria e que se registavam desde o dia 06 de outubro, em Ileb, próximo de Alepo, no norte do país.

 

Traduzindo a "notícia" para português inteligível: a RTP acaba de anunciar ao mundo que a organização terrorista al-Qaeda da Síria (parte da Oposição Síria, embora os políticos e os media do ocidente finjam acreditar que não) fez as pazes com uma outra organização terrorista chamada Frente Islâmica (esta sim reconhecida pelo ocidente como fazendo parte da "Oposição Síria). A RTP informa ainda que este acordo de paz (ahhh, que risada) entra a al-Qaeda da Oposição Síria e a Frente Islâmica da Oposição Síria não inclui os membros da al-Qaeda da Oposição Síria com ligações ao Estado Islâmico (ISIS)! Jurem! Ahhh, pudera, era barraca a mais dizerem que a Frente Islâmica da Oposição Síria (organização terrorista criada pelos EUA) teria feito as pazes com o Estado Islâmico (organização terrorista criada pelos EUA), pois se o fizessem, teriam de admitir por fim a verdade óbvia: que todos esses grupos de mercenários trogloditas não passam de malabarismos terroristas da guerra de procuração dos EUA contra a Síria!

 

Portanto, a RTP informa-nos, ao contrário do que a RTP acredita, que a Oposição Síria (apoiada pelo Ocidente) combate o Exército Legítimo da Síria (governada por a-Assad) em parceria com a al-Qaeda (a qual é supostamente inimiga do ocidente no Afeganistão e outros) e em parceria com o ISIS (esse inimigo do planeta inteiro e arredores)! Eheheh, enfim, por que não simplificam, como eu costumo fazer, e admitem de uma vez por todas que a guerra civil síria não é uma guerra civil mas sim uma guerra indirecta de alguém (estou a ser simpático) contra a Síria, e que esse alguém usa, para alcançar os seus objectivos, um sem número de organizações terroristas trabalhando em conjunto, como al-Qaeda, Exército de Libertação Sírio, Frente Islâmica, ISIS, etc... 

 

Enfim, estes mentirosos jornalistas da RTP são tão ignorantes e mentalmente tão fraquinhos que... nem mentir direito conseguem! E dá nisto, a RTP que reza ladainhas anti al-Assad de manhã à noite, e que jura que o problema da Síria é só e apenas al-Assad, o Lançador de Barris-Bombas-Invisíveis-Virtuais, confessa num artigo copiado da agência Lusa que terroristas e oposição são todos a mesma treta. E se são todos a mesma treta, são todos terroristas invasores ilegais do estado soberano sírio e, se assim é, quem tem moral e/ou descaramento para criticar o presidente  al-Assad por este defender o país dessa invasão terrorista estrangeira? 

 

Ahhh, basta dizer que em parte alguma do artigo é usada a expressão "organização terrorista" para descrever qualquer um dos 3 grupos referidos. Pelo contrário, só se encontram eufemismo podres como "As fações sunitas",  "as duas organizações", os "grupos sunitas rivais" e tretas do género! Propaganda daquela do confundir para alienar da pior que já li na vida! Vergonha que se gaste dinheiro púbico nesta miséria de informação que não é informação mas sim propaganda, e não propaganda inteligente mas sim propaganda da mais tosca, propaganda para gente com morte cerebral clinicamente declarada!

 

 

Para acabar, deixo uma crítica à forma como a "informação" da RTP é partilhada online. Não sei se já repararam mas, não só a RTP (e outros media nacionais) quase não partilha na sua página Facebook notícias de política internacional (por medo de levar com comentários de amadores que estejam mais bem informados que a RTP) como também se dá ao luxo de desactivar a caixa de comentários do seu site (rtp.pt/noticias) para o mesmo tipo de notícias. Enfim, é ver dinheiro de impostos dos portugueses gastos ao serviço do silenciamento de portugueses!

Luís Garcia, 12.10.2016, Chengdu, China

 

 leia mais artigos de Desespero Mediático aqui

 

Este artigo é dedicado ao meu conterrâneo Marco Bryner-Santos-Salazar emigrado nos EUA, essa boa alma que ajuda crianças desfavorecidas e que é defensor da auto-censura, da ignorância e do fim dos blogs onde pessoas informadas criticam governantes dos EUA como o Barack Obama e o George Bush!

 

 

 

 
Vá lá, siga-nos no Facebook! :)
visite-nos em: PensamentosNómadas

Categorias

POLITICA - banner

SOCIEDADE - banner

VIAGENS - banner

RELIGIÃO - banner

ECONOMIA

Literatura

Tecnologia

CIENCIA

FOTOGRAFIA

EN FRANÇAIS

IN ENGLISH

 

Livros em PDF - LISTA DE AUTORES POR ORDEM ALFABÉTICA

Os Nossos Artigos em PDF

Arquivo

O gestor do blog

foto do autor

Siga o blog

Follow